Preços do milho “andam de lado”


As indicações dos portos brasileiros recuam R$ 0,50/sc pelo terceiro dia consecutivo

Os preços do milho no mercado brasileiro continuam com pouca variação, “andando de lado”, como disse o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica. Nesse cenário, o mercado acaba não se desenvolvendo, segundo a pesquisa do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Além disso, no mercado físico do Paraná, os preços do milho ficaram em R$ 40,00 nas fábricas, tanto spot, quanto futuro, já os preços no porto surpreenderam e ficaram bem abaixo dos preços nas fábricas, em R$ 38,00. “Em São Paulo, poucas mudanças e mais um dia de pressão no mercado de grãos. Após registrar o maior preço desde 13/06/2018 na última segunda-feira (21), as referências perderam força. A forte baixa do Dólar frente ao real, operando, agora, abaixo de R$ 4,03/US$, é o ponto chave do enfraquecimento, visto que reduz as referências de exportação”, comenta.

“Para outubro, as indicações dos portos brasileiros recuam R$ 0,50/sc pelo terceiro dia consecutivo, agora, em torno de R$ 39,00/sc. Observando o movimento, compradores locais permanecem com a postura de pouco ceder, buscando recompor seus estoques e, em alguns casos, testando até preços menores. Vendedores, que especulavam no mercado local subindo preços e encurtando ofertas, vão cedendo aos poucos. Estimativas de mercado apontam para o preço médio de R$ 42,23/sc, suave recuo de 0,09/sc”, completa.

Os preços oferecidos pela exportação, para vendedores distantes 600 km do porto, subiu para R$ 34,49 (34,11 do dia anterior) caiu para dezembro, R$ 34,70 (35,34) e subiu para março e R$ 34,48 (34,17) para maio de 2020.

Fonte: agrolink.


Posts Em Destaque
Posts Recentes